Parceiro

Últimas Notícias

“Jesus bêbado” e outras zombarias disseminam a apostasia


Não se questiona o princípio constitucional da livre expressão do pensamento, apesar das devidas restrições que a própria lei maior do país enfatiza aos estudiosos do Direito. Cada um pode e deve fazer escolhas e não deve ser privado de seus direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política. Esse é um fundamento inarredável da sociedade brasileira.

Assim, precisamos conviver pacificamente e dialogar na medida dos interesses específicos com os cada vez mais organizados grupos de ateus, LGBT, feministas, punks, anarquistas e outros. Ponto. Mas isso também não me impede de manifestar tristeza com páginas ofensivas destes grupos que zombam da fé alheia. Digo isso não por revolta às muitas provocações infantis e piadinhas infames, mas com tristeza por perceber que essa apostasia organizada pode e deve contaminar pessoas inocentes que não têm discernimento para compreender o mundo sob uma perspectiva espiritual. Mais um sinal dos tempos. Quando o amor de muitos se esfria e contamina grande número de pessoas.

Um exemplo dessas páginas é a fanpage do blog “Jesus Bêbado” no Facebook que tira escárnio do Salvador de nossas almas. Mesmo sem conhecimento jurídico, ouso afirmar que os responsáveis, inclusive o próprio Facebook, podem ser enquadrados por crime de discriminação religiosa e vilipêndio (ofensa) de imagem e objeto de culto religioso. Veja algumas imagens e tire suas conclusões. (Todas as imagens publicadas neste post foram retiradas da fanpage do referido blog)


Mas como defensor da liberdade de expressão nem entro nesse mérito. O que me motiva a escrever este post é a necessidade de incentivar cristãos a dialogarem nestes canais, oferecendo conteúdos edificantes no Facebook e outras redes sociais para atrair principalmente os jovens que podem ser contaminados por esse culto à apostasia que verificamos atualmente na sociedade brasileira. Prefiro isso a proibir meus filhos de acessar o Facebook. Fico triste ao ver o movimento organizado dos ateus contaminar cada vez mais jovens pela omissão de muitas famílias que não conseguem fundamentar em seu filhos uma base de princípios cristãos verdadeiros, vividos na prática e não como uma utopia decantada em dias de domingo.

Para reflexão, um vídeo do movimento de ateus organizados. Volto a dizer: nada contra esse pessoal. Eles estão no direito deles, até o momento que tentarem reivindicar cotas de vagas para ateus ou impedir o nosso direito de manifestação de culto ou algo semelhante. Mas chamo atenção daqueles que querem sua família alicerçada em princípios cristãos verdadeiros. Precisamos oferecer o contraditório aos nossos filhos. Para que eles não sejam levados por esse mundanismo que avança de carona na hipocrisia religiosa que historicamente se manifestou dominante no país.



Enfim, o debate está na mesa, mas concluo, mais uma vez com uma palavra de vida: “Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição”. 2 Tessalonicenses 2:3